john schnobrich 520023 unsplash 1320x540 - Existe Diferença Salarial no Mercado de Trabalho Freelancer?
Carreira

Existe Diferença Salarial no Mercado de Trabalho Freelancer?

Enquanto mulheres, estamos habituadas a ouvir falar (e a sentir na pele) na diferença salarial entre géneros. Sabemos que é bastante comum encontrar uma significativa diferença salarial entre homens e mulheres, nas empresas portuguesas, mesmo que desempenhem as mesmas funções. A mulher continua a receber menos 175€, em média, do que o homem. Para combater este problema (que, em pleno século XXI, não deveria sequer ser um problema), foi lançada uma lei, em meados de fevereiro. E para as mulheres que têm uma atividade freelancer freelancer? Será que se coloca o mesmo problema?

A resposta não surpreende. Sim, as mulheres continuam a ganhar menos do que o homem, mesmo em trabalhos freelancer. Um estudo feito pelo World Economic Forum avança que, de forma global, as mulheres ganham menos 54% em trabalhos freelance. Numa primeira leitura, pode parecer absurdo. Afinal, enquanto freelancers, somos nós que decidimos o nosso valor! E se vos dissesse que, mesmo assim, muitas mulheres escolhem ser pagas abaixo do valor médio de mercado?

Mas vamos por partes…

Como chegar ao valor/hora?

Esta é a primeira pergunta que fazemos quando iniciamos atividade freelancer e a Internet está cheia de fórmulas, métodos e conselhos sobre como devemos calcular o nosso valor hora/projeto. O mais importante é que tenhas em mente que, como freelancer, o teu fim do mês será sempre incerto. Nuns meses terás mais trabalho, noutros menos. Faz um cálculo ao montante mínimo com o qual podes sobreviver durante um mês mais fraco. Soma contas para pagar, gastos em alimentação, saúde, creche e todas as outras despesas que, independentemente de como correu o teu mês de trabalho, vão aparecer. Soma também um pequeno valor para te dar algum conforto caso exista um imprevisto.

Já fizeste a soma? Esse é o teu ordenado.

Agora, pensa em quanto deves cobrar por hora, tendo em conta os impostos associados ao trabalho freelancer. Não te podes esquecer que, do valor pago pelo cliente, vais ter de retirar uma parte para pagar IRS, Segurança Social e IVA (quando aplicável). Depois de fazer esta conta, divide o valor que estabeleceste como ordenado pelo valor/hora. O resultado é o número de horas/clientes que precisas de manter, por mês, para garantir o teu ordenado.

Obviamente que todas estas contas vão variar bastante consoante a área de atuação e até mesmo de profissional para profissional. O mais importante é que tenhas bem presente o valor/hora que deves cobrar para pagar as tuas contas e evitar trabalhar para aquecer.

Nunca te esqueças que, para poderes prestar o serviço que prestas, precisaste de muitas horas de estudo e formação. Essas horas podem (e devem) ser refletidas no orçamento que dás ao cliente.

A importância de pedir um valor justo

Terás sempre competição. Haverá sempre colegas de profissão a pedir valores mais baixos, quer seja para ganharem portfólio ou porque têm o mesmo problema que tu: não reconhecem o seu valor. E haverá sempre aquele cliente que regateia até ao último cêntimo… No entanto, baixar o valor do teu trabalho para conseguir clientes, na maioria das vezes, só vai prejudicar a tua carreira enquanto freelancer.

Em primeiro lugar, ao baixares o valor do teu trabalho, estás a prejudicar a tua saúde. Por reduzir o valor, terás de trabalhar muito mais horas para compensar e, rapidamente, o que era o teu emprego de sonho passa a ser um pesadelo. Tu não te libertaste de um trabalho por conta de outrem para seres escrava dos clientes, pois não?

Praticar um valor mais baixo também irá prejudicar a tua imagem profissional. O que, inicialmente, te pareceu uma boa ideia e te trouxe muitos clientes, irá rapidamente afastar os clientes mais interessantes (aqueles que pedem trabalho de forma mais regular e te respeitam enquanto profissional). Afinal, se tu não reconheces a qualidade do teu trabalho exigindo o pagamento justo, é impossível que o cliente a reconheça.

Uma questão de confiança

Voltando ao assunto inicial: porque é que as mulheres recebem menos pelo seu trabalho do que os homens? Uma das causas comummente apontada é a diferença entre os níveis de autoconfiança entre homens e mulheres. Somos socialmente ensinadas a não nos gabarmos, a sermos humildes acerca das nossas capacidades. Temos dificuldade em aceitar um elogio e hesitamos em assumir que somos boas a fazer algo.

Já falamos aqui de soft skills e a confiança é sem dúvida uma das mais importantes. Reconhece o valor do teu trabalho (e todo o esforço necessário para chegares onde estás) e não tenhas medo de o assumir. Aprende a negociar.

É também importante que construas uma “rede de apoio”. Junta-te a outras mulheres freelancers e apoiem-se mutuamente. Criem uma comunidade onde podem desabafar, partilhar, celebrar e crescer em conjunto.

Constrói o teu portfolio, recebe o feedback dos teus clientes, investe (sempre) na tua profissão e acredita no teu valor.


Segue o Das Nove Às Cinco no Facebook e no Instagram.