saúde mental 1100x540 - Cuida de ti: as mulheres e a saúde mental
Lifestyle Maternidade

Cuida de ti: as mulheres e a saúde mental

Sabias que, em Portugal, há muito mais mulheres do que homens a sofrer de depressão?  No Dia da Saúde Mental, queremos falar sobre a importância de reconhecer e tratar os sintomas de uma depressão.

Nas últimas décadas, temos vindo a ganhar cada vez mais consciência para a necessidade de estar alerta aos sinais de depressões, 10, esgotamentos e outras doenças do foro mental. Embora ainda exista quem ache que “a depressão é só para quem tem tempo” ou que “é preciso ter pensamentos positivos”, estamos cada vez mais conscientes de que a nossa cabeça, tal como todo o resto do corpo, precisa da nossa atenção.

No campo da maternidade, há um grande foco para a prevenção da depressão pós-parto. Grávidas, companheiros e as próprias equipas de profissionais dobram atenção e esforços para que, nos primeiros meses de vida do bebé, os mais leves sintomas (que podem incluir baixa autoestima, falta de interesse pelo bebé e tristeza prolongada, entre outras) sejam identificados e tratados.

Mas, depois, a vida segue o seu rumo. Criam-se rotinas, os sonos começam a ser mais regulares, o bebé transforma-se em criança e tudo parece estar bem. No entanto, há muitas mães que, na sombra, lidam com a pressão para conseguir equilibrar tudo (família, carreira, relações pessoais, autocuidado, interesses – a lista é interminável).

As mulheres e a saúde mental

Um estudo europeu revelou que as mulheres reportam muito mais sintomas de depressão do que os homens. As maiores diferenças foram registadas na Alemanha, em Espanha e em Portugal.

Podemos culpar as hormonas para esta realidade: é mais fácil, mas é incrivelmente redutor.

Existe uma cultura que, tendencialmente, coloca maior foco na mulher. Por um lado, são consideradas cuidadoras por excelência, atribuindo-lhes a responsabilidade pelas tarefas domésticas e de organização da casa, por cuidar de filhos e pais/avós, etc. Por outro lado, quer-se que, apesar do peso da responsabilidade, as mulheres estejam no seu melhor: emocional e fisicamente.

Como identificar uma depressão

Antes de mais, é importante identificar os sintomas de uma depressão:

  • Irritabilidade e agitação constantes
  • Fadiga e lentidão
  • Perda de interesse nas atividades diárias
  • Perturbações do sono e do desejo sexual
  • Variações de peso e apetite
  • Angústia associada a ideias de morte
  • Como cuidar da saúde mental

Uma mãe que não cuida de si está a por em risco o seu futuro. E, consequentemente, põe em risco o futuro dos seus filhos. Cuidar da nossa saúde mental, tal como cuidamos da saúde física, é essencial. É preciso estar atenta, identificar sintomas e procurar ajuda. Se os teus sintomas se assemelham a uma depressão ou qualquer outra doença mental (ou se conheces alguém cujos comportamentos se assemelhem aos acima descritos), podes procurar ajuda das seguintes formas:

Contactar um profissional

O primeiro passo é procurar um profissional. Podes procurar diretamente um especialista no serviço privado ou ir ao Centro de Saúde da tua zona de residência, onde existem equipas multidisciplinares para te ajudar. Em casos mais graves, justifica-se o encaminhamento para uma consulta de Psiquiatria. O fundamental é que sintas confiança no médico que te acompanha.

Grupos e Organizações

Existem alguns grupos e organizações de autoajuda, supervisionados por terapeutas habilitados, onde a partilha e entreajuda são os pilares. Verifica a existência deste tipo de organizações na tua área de residência.

Adicionalmente, tens a linha Saúde 24 (808 24 24 24 – todos os dias 24 horas/dia) e a linha SOS Voz Amiga (21 354 45 45 / 91 280 26 69 – diariamente das 16 às 24h) que podem ajudar, direcionar e apoiar.

Família e amigos

Sim, algumas pessoas próximas de ti vão desvalorizar. Haverá sempre quem ache que isso “são coisas da tua cabeça”. Evita essas pessoas e rodeia-te daquelas que te querem ajudar. Partilha a situação com a tua rede de apoio e pede-lhes ajuda sempre que necessário.


Queres dar o teu testemunho sobre saúde mental? Vai ao Facebook, ao Instagram ou envia um email para geral@dasnoveascinco.pt